Atrações

Ángel Frette

Iniciou seus estudos com Juan Ringer e aperfeiçoou-se em marimba com William Moersch (EUA). Estreou mais de 80 obras de compositores argentinos e tocou na maioria das orquestras sinfônicas argentinas. Como professor e músico já se apresentou em países como Brasil, Uruguai, Chile, Porto Rico, México, Croácia, Espanha e Estados Unidos.   Participou como jurado em importantes festivais de marimba pelo mundo. Tem 5 CD gravados, sendo premiado pela Fundação Konex e pela Sociedade de Compositores Argentinos. É integrante da Orquestra Sinfônica de Buenos Aires desde 1988 e desde 1999 é chefe do departamento de percussão do Instituto Universitario Patagónico de las Artes. É diretor do Festival de Percussão da Patagônia, festival que já está na sua 16º edição.  É diretor artístico da Fundação Cultural Patagônia e do Ensamble de Percusión Patagonia.

 

Ensamble de Percusión de Fundación Cultural Patagonia (Argentina)

Criado em 1999 por Angel Frette o grupo se dedica a abordar o repertório de música de câmara para percussão com foco nas obras de compositores argentinos. Mantido pela Fundación Cultural Patagonia e sediado no Instituto Universitário Patagónico de Artes, o grupo já realizou concertos com grandes nomes da percussão mundial. Entre suas principais apresentações destacam-se  concertos no Teatro Cólon (Buenos Aires), Festival de percussão de Montevideo (Uruguai), PASIC 2010 (EUA), Festival de Cajón Peruano (Peru), Festival de grupos de percussão da Costa Rica, Festival Tamborimba (Colômbia), Tamborimbando (Portugal) além de concertos na Croácia e Espanha. Em 2005 registrou seu primeiro CD com obras de compositores argentinos.

 

Caíto Marcondes, apelidado por Airto Moreira de ‘Villa-Lobos da percussão’,  iniciou na música ao piano passando mais tarde a se interessar por bateria e percussão.  Autor de vários cds solo, Caito tem, há muitos anos, participado de festivais nacionais e internacionais em diferentes formações, que vão de concertos solo até participações com orquestras sinfônicas, trafegando numa linha divisória entre as chamadas música erudita e popular.

 

 

Desvio
Formado pelos músicos Leonardo Gorosito e Rafael Alberto, o trio desenvolve um trabalho autoral dedicado à música brasileira, mesclando as influências populares ao pensamento erudito. Em parceria com Pedro Durães, músico especializado na criação e performance musical com recursos eletrônicos, apresentam o formato “​work in progress​” da peça encomendada pelo Savassi Festival para o projeto Música Nova, a ser oficialmente estreada em agosto de 2018 em Belo Horizonte.

Leonardo Gorosito​ é músico , compositor e timpanista da Orquestra Sinfônica do Paraná. Obteve seu bacharelado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e seu Mestrado e Diploma de Artista em Percussão pela Yale University, sob a orientação do professor Robert Van Sice.

Rafael Alberto​ é músico, compositor e percussionista principal da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. Formou-se no Conservatório de Tatuí, concluiu o Bacharelado em Percussão pela Universidade Estadual Paulista e o Mestrado pela Stony Brook University, em Nova York, como aluno de Eduardo Leandro.

Pedro Durães​ é músico, produtor musical e sound-designer, especialmente dedicado à criação e performance musical com recursos eletrônicos, ao desenho de som para cinema e à trilha sonora. Graduado em 2005 pela Escola de Música da UFMG, é colaborador em trabalhos de artistas de diversos campos, como Rafael Martini, Antônio Loureiro, Kristoff Silva, Affonso Uchoa, Cinthia Marcelle, Máximo Soalheiro.

 

Duo Clavis
Formado pelos músicos paranaenses Marcello Casagrande (vibrafone) e Mateus Gonsales (piano) tem repertório autoral, arranjos-releituras próprias e trabalho camerístico, caminham com liberdade entre a música popular, a música contemporânea, o jazz e a livre improvisação. A sintonia da parceria musical de alto nível vem recebendo elogios e aplausos do púbico em geral e do meio musical por suas intensas e sensíveis performances. Trabalham no sentido de incentivar a criação e divulgação da música instrumental brasileira e a sua formação instrumental pouco convencional. As influências da música instrumental brasileira de grandes mestres como Egberto Gismonti, Cesar Camargo Mariano, Paulo Braga são fontes fundamentais de sua identidade sonora.  O Duo Clavis tem como uma de suas características principais o uso da improvisação como elemento essencial para a estruturação criativa de sua música.  O novo, o inesperado, o silêncio…são alguns dos caminhos percorridos através da trilha sonora criada pelo Duo Clavis.

 

Pandeirada Brasileira

O conjunto coloca em um mesmo palco, os percussionistas Vina Lacerda, Marcos Suzano e Caíto Marcondes ao lado de um grupo formado por importantes músicos da cena musical curitibana. O projeto expõe o pandeiro além do choro, na modernidade da música instrumental brasileira, pelo ritmo de seus percussionistas. Passeando além do choro, também pelo repertório solo dos percussionistas Caito Marcondes e Marcos Suzano e Vina Lacerda, o concerto se dedica a obra “Concerto Pandeiros e Orquestra de Cordas”, de Tim Rescala. A obra conta com arranjo para 3 pandeiros e grupo, formado pelo músicos André Prodóssimo, violão de 7 cordas, Gabriel Schwartz, sopros, Rodrigo Marques, contrabaixo, Julião Boêmio, cavaquinho e André Ribas, acordeon.

 

Randy Gloss

O renomado percussionista norte americano é considerado um virtuose na execução de diversos tambores de mão.  Estudou com importantes nomes da música mundial como John Bergamo e Pandit Swapan Chaudhuri. Sua habilidade como percussionista e baterista levou o músico ao envolvimento com diferentes grupos musicais, fundindo world music, música contemporânea e jazz. Gravou e excursionou em diversas partes do mundo com alguns dos mais importantes artistas ligados a world music. É professor da Califórnia Institute os the Arts (CalArts) e integrate do Hands On`Semble.

 

Austin Wrinkle
O percussionista americano combina técnicas e conceitos de muitas culturas, com isso criou uma abordagem única para tocar uma série de instrumentos de percussão. Austin estudou com alguns dos maiores bateristas e percussionistas mundiais. Durante muitos anos esteve estudando com John Bergamo e Pandit Swapan Chaudhuri. Estudou tambores do sul da Índia com Mridangam Poovalur Sriji, percussão de orquestra e jazz com David Johnson, música e percussão africana com Alfred Ladzekpo, bateria com a lenda do jazz Joe LaBarbara e música persa com Houman Pourmehdi. É integrante do grupo Hands On`Semble.

Randy e Austin fazem um concerto que mistura parte do repertório dos artistas com o trabalho que desenvolvem junto ao Hands On`Semble, grupo fundado pelo renomado percussionista John Bergamo e considerado um dos mais interessantes e inovadores grupos de percussão da atualidade, fundindo diversos instrumentos da percussão mundial em uma abordagem inovadora.

 

Mano a Mano Trio

O grupo de música instrumental brasileira Mano a Mano Trio desenvolve um trabalho que valoriza a música brasileira através de um repertório de obras reconhecidas do cancioneiro popular e das vertentes modernas da música. Formado por Sérgio Albach (clarinete),Glauco Sölter (contrabaixo) e Vina Lacerda (percussão), o grupo apresenta uma formação não usual de sonoridade peculiar, distinguindo-se pelos arranjos elaborados mesclados a improvisação. Com dois CDs lançados o grupo já se apresentou ao lado de importantes artistas nacionais e excursionou em países da America Latina e Europa.

 

 

Marcos Suzano participou  de vários  grupos  importantes   no  cenário musical  brasileiro  e  internacional ,  como  Aquarela  Carioca , Nó em Pingo D’Agua , Zizi Possi, Gilberto  Gil, Sting, Joan Baez , entre  muitos  outros , o que fez com que se tornasse um dos músicos  mais  requisitados  atualmente tanto para shows como para gravações. Suas  pesquisas  em  música  eletrônica  unem-se  a um profundo  conhecimento  da base musical  afro brasileira , resultando  numa   ação  marcada  pelo  virtuosismo   e originalidade , em favor de uma assinatura  sonora. Suas idéias  de  renovação  da percussão  brasileira são transmitidas  em festivais , aulas e  workshops ministrados  em todo o mundo , passando  por Japão , Eua, Holanda , França , Dinamarca , Bélgica , Itália , e em várias  cidades  brasileiras . Tem 1 video aula lançado no Japão e 2 DVDs , sendo o último o mais completo, lançado em 2008 na Alemanha e toda a Europa , onde apresenta sua técnica ao pandeiro bem detalhadamente. Seus discos solo são “SAMBATOWN”-de 1996/97, “FLASH” de 2000  e ATARASHII de 2008 . Com Lenine  lançou o disco “OLHO DE PEIXE” em 1993 Com o grupo Aquarela Carioca mais 5 discos  além de discos ao lado do Nó em Pingo D’Agua   Paulo Moura e Grupo Ociladocê, em  duo  com  o  baterista  japonês  Numazawa  Takashi,   “SATOLEP SAMBATOWN” em duo com o compositor  Vitor Ramil entre outros projetos. Participou, como  diretor, das  10 últimas  edições  do FESTIVAL PERCPAN, um panorama anual  da percussão  mundial.

 

UM2UO (UmDuo) é formado por Luís Fernando Diogo, percussionista formado na Escola de Música e Belas Artes do Paraná e Vinícius Portes, atual graduando do mesmo curso. Amigos na vida e na música há mais de dez anos, entre os festivais, trabalhos acadêmicos e profissionais em que atuam juntos, trazem ao público o repertório de percussão duo e solo através do projeto UM2UO, abrindo espaço à música nova e aos seus ´clássicos`.